Pesquisar

Login

Registre-se ou faça o login para receber nossos informativos.



Mediunidade PDF Imprimir E-mail
Avaliação do Usuário: / 1
PiorMelhor 
Artigos on line - Artigos
Escrito por Administrador   
Qua, 15 de Abril de 2009 08:54

Os fenômenos mediúnicos ocorrem desde os primórdios da humanidade. Sabemos que tribos antiquíssimas produziam fenômenos de efeitos físicos e os pajés entravam em transe mediúnico durante certos rituais de pajelança, assim como na antiga Grécia existiam as pitonisas e o famoso Oráculo de Delfos. Na própria Bíblia existem relatos de fenômenos mediúnicos envolvendo Jesus, os apóstolos e, antes deles, Moisés. Portanto, a mediunidade e seus fenômenos não foram inventados por Allan Kardec, mas sim, pesquisados cientificamente por ele e vários outros pesquisadores.

A capacidade psicofísica de entrarmos em sintonia com os espíritos manifesta-se em todas as pessoas, só que em graus variados, do mais subjetivo ao médium mais ostensivo, como no caso de Chico Xavier. O bom ou mau uso desta faculdade depende dos valores morais de cada um, assim como tudo na vida.

No século XIX, os fenômenos mediúnicos ocorreram de forma generalizada, por toda parte, principalmente pela Europa e América, no Ocidente. Após a Revolução Francesa, vivíamos a euforia do Iluminismo, onde a Razão foi exageradamente elevada ao patamar de um novo deus. Mesmo assim, este foi o início de uma nova era de progresso para a humanidade e, neste clima, os fenômenos mediúnicos de efeitos físicos chamaram a atenção de grandes cientistas europeus, como William Crookes, um célebre químico inglês que, a fim de provar a inexistência da influência espiritual nos fenômenos, acabou se tornando um dos maiores colaboradores na formação da base científica da doutrina espírita.

A codificação do Espiritismo surgiu com o conjunto de obras publicadas por Kardec, a partir do enorme trabalho de pesquisa que ele fez com relação às manifestações mediúnicas que estavam ocorrendo de forma maciça. Por outro lado, Kardec deixou claro que grande parte dos ensinamentos que ele estava codificando já havia sido transmitida em outras épocas da história da humanidade, e podem ser encontradas nas doutrinas de todas as grandes religiões do Oriente, do Budismo ao Sufismo. “O Espiritismo não é obra de um único homem. Ninguém pode se dizer seu criador, porque é tão velho quanto a Criação.”– O Livro dos Espíritos - conclusão.

Nossa intenção com a edição 03 da Caminho Espiritual, totalmante dedicada ao tema mediunidade, não foi de forma alguma substituir as várias obras na literatura espírita que abordam o assunto, mas sim, oferecer um ponto de partida aos leitores para que possam desenvolver seus estudos com mais segurança. Muitas pessoas têm a mediunidade bastaste presente na vida delas e não sabem. Quando chegam a um centro – seja espírita, umbandista etc – nem sempre têm suas dúvidas iniciais esclarecidas. Isso sem contar aquelas que nem sequer acreditam ou aceitam a mediunidade. À todas elas, dedicamos este trabalho. Que sirva de orientação nesta jornada. Paz e Luz!


Editorial publicado na revista Caminho Espiritual, edição 03
 

Faça uma visita!

LiveZilla Live Help

Carrinho

VirtueMart
O seu Carrinho de compras encontra-se vazio no momento.

Para ouvir