Pesquisar

Login

Registre-se ou faça o login para receber nossos informativos.



Entrevista com Zíbia Gasparetto
Avaliação do Usuário: / 7
PiorMelhor 
Artigos on line - Artigos
Escrito por Sandra Cecília   

A confiança na vida eterna e na reencarnação são o leme para uma vida mais plena. Queremos saber mais sobre a espiritualidade e, com isso, viver melhor a vida. Quando a gente pensa em romance espírita, lembra da Zíbia Gasparetto. Desde 1994, a escritora e médium se tornou uma das presenças mais marcantes na lista dos livros mais vendidos...

São mais de 9 milhões de exemplares vendidos. São livros cuja trama nos prende do começo ao fim. Vivemos emoções novas e gratas lições de amor, coragem e superação. A leitura dos seus livros é muito gratificante.

Através dos seus livros aprendemos a modificar nossas vidas para melhor. Aprendemos também que a morte não existe! É apenas uma separação momentânea! Quantas pessoas não encontraram consolo e esperança através das obras psicografadas de Zíbia Gasparetto!

Frequentemente, ouço os seguintes comentários em meu consultório: "Não me interessava por essas coisas de espírito até que perdi alguém da família... Um dia me presentearam com um livro da Zíbia Gasparetto... Agora comecei a aprender sobre espiritualidade e que a morte não é o fim”.

Uma grande amiga comentou sobre o romance "Esmeralda", de Zíbia Gasparetto. Ao sair do trabalho, minha amiga ia direto para casa para continuar a leitura. A trama do romance é tão instigante que a pessoa não sossega enquanto não chega ao final. Afirmou minha amiga:

"Quando você lê o livro é como se entrasse dentro de um filme. Vê as cenas, se deslumbra com cada personagem e acaba se identificando com a história. Lendo os livros da Zíbia compreendemos a natureza do sofrimento humano, a espiritualidade,numa linguagem acessível e objetiva.”

Meu contato com a escritora e médium Zíbia Gasparetto foi através do telefone. Eu me senti envolvida por uma forte expectativa ao cumprimentá-la. E, através de suas palavras meigas e tranqüilas, reconheci uma senhora extremamente simpática, inteligente e de uma vivacidade incrível. Através dessa entrevista aprendemos que o conhecimento sobre a espiritualidade é o consolo para os sofrimentos e perdas inevitáveis da vida.

A seguir, uma condensação do diálogo estabelecido:


Quando exatamente começou o seu dom de psicografia?

Contou-me que seu primeiro livro foi escrito aos 22 anos. E foi escrito à mão. O romance "O amor venceu" tinha 400 páginas e demorou mais de cinco anos para terminá-lo. Pelas suas palavras: "Naquela época, dava muito trabalho escrever porque tinha que datilografar tudo depois. E, também havia a casa e os filhos para cuidar".

Como foi seu primeiro contato com o espírito de Lúcius, um dos seus mentores espirituais?

Zíbia não gosta muito de fazer perguntas para os espíritos. De início, ela não sabia de quem eram as mensagens. Só ao final do livro é que ela conheceu Lúcius, seu mentor espiritual. Ela o viu espiritualmente.Contou que ele tinha uma aparência jovem. No livro "O fio do destino", Lúcius conta sobre duas encarnações: uma, como juiz na França e outra como parlamentar inglês.

Como é o seu processo de psicografia atualmente? A senhora acha que o computador facilita a conexão com os mentores espirituais?

Atualmente, Zíbia afirma que digita suas obras direto no computador, pois que, sendo ótima datilógrafa, tecla "rapidinho". Tem hora para começar, mas não para terminar. Ela acha que o computador não facilita a conexão com os espíritos, pelo contrário. E quando seu computador "trava" ou dá problemas acredita que possa ser por conta das interferências espirituais. Zíbia procura não ver muitas notícias ruins pela televisão para não se deixar influenciar.

Ao ler Esmeralda, a trama da história me envolveu de tal forma que não sosseguei enquanto não terminei o livro. Perguntei a Zíbia como é esse processo de inspiração e escrita através do mentor Lúcius:

Zíbia escreve através de um transe consciente. O espírito dita o romance através de uma "voz mental" (assim ela justifica). E que só fica conhecendo o desenrolar da história, à medida que vai escrevendo. Ela fica cada vez mais curiosa em saber o que vai acontecer, o que tem provocado, às vezes, "situações complicadas". Por conta disso, já levou um "pito" do Lúcius, porque ele não quer que ela fique pensando muito na história para não interferir no roteiro.

Durante o trabalho de sua escrita em transe consciente, Zíbia conta que vê cenas importantes e que até “sente” o cheiro do lugar. Presenciou o misterioso mundo cigano. O espírito de Lúcius garante que os romances são baseados em histórias reais. Os nomes são mudados e que na atualidade, a linguagem também é mais moderna para melhor compreensão do leitor.

Como vê atualmente o aumento do índice de violência no Brasil, as tragédias e crimes entre as famílias

Ela vê isso com muita tristeza. Disse que o planeta está mudando. Brasil vai evoluir um pouco mais, mas as pessoas têm que melhorar o seu comportamento. Muitos espíritos não vão mais voltar a reencarnar no Brasil, por conta das suas atitudes violentas. Eles estão perdendo a chance de retorno à Terra. Lamenta que as notícias tristes estão sendo muito comentadas na mídia e isso faz muito mal, porque nem sempre podemos ajudar.

Um sonho realizado

Seu sonho foi sempre ter uma gráfica para publicar seus livros e divulgar também livros de outros autores, porque, atualmente, ela afirma: "ainda existe muito preconceito com livros espíritas". As pessoas não têm como publicar suas obras porque não é toda editora que aceita editar esses livros. Ela editava seus livros numa gráfica, mas ela fechou. Um gerente de uma gráfica lhe propôs arrendar sua oficina. Zíbia alugou a gráfica.

Uma colocação muito significativa de Zibia é afirmar que sempre espera os sinais da vida para realizar seus sonhos. E, que sempre "espera para ver se a vida faz isso.

"Quando vem o sinal, é a vida que conversa com a gente.”- afirma com sabedoria.

Isso me lembrou aquela frase conhecida e sábia: "Quando é para ser o Universo conspira a favor”.

Zíbia comentou sobre o seu casamento e a morte súbita do esposo. Disse que esta passagem muito a entristeceu e que se isolou dos amigos. Mas, agora, entende o motivo da perda do amado. Talvez se ele não se desencarnasse ela não poderia se dedicar à editora e à gráfica como tem se dedicado. Sente muito a falta do marido, mas ele está sempre se comunicando através da mediunidade do seu filho Irineu Gasparetto.

Contou que a Gráfica da Editora Vida e Consciência tem um serviço muito bom. As máquinas são importadas. E que, agora, ela oferece a oportunidade para outros autores publicarem suas obras. Sua neta,Vanessa Gasparetto, a ajuda muito lendo e analisando os originais.Luiz Antonio Gasparetto e Silvana Gasparetto, filhos de Zíbia, também participam ativamente do trabalho junto à editora.

Comentei sobre Luiz Gasparetto, Irineu, filhos médiuns, família de médiuns:

Zíbia relatou que obteve do saudoso médium Chico Xavier a confirmação de que sua família fez um trato na espiritualidade antes de nascer. Havia uma tarefa programada 30 anos antes de reencarnarem na Terra.
Os mentores espirituais queriam muito que a Editora saísse. Os espíritos prediziam: "Você vai abrir uma Editora".

"Eu ficava com muito medo mas fazia" afirmou Zíbia convicta. "Minha fé é muito positiva"- afirma.
Relatou que, na família, todos se combinam muito.

Perguntamos a Zíbia Gasparetto o que ela faz para relaxar durante as tensões do dia a dia:

Quando sente que a energia está pesada no ambiente, Zíbia prepara um copo com água e sal grosso. O sal vai absorvendo a energia negativa do ambiente. E assim melhora bastante as energias do ambiente.

Como ela mesmo se expressa: "gosto de entrar dentro de mim mesma" e sente "o espírito ligado com Deus". Descreveu que sente uma sensação muito boa. Como sentisse "uma luz dentro do peito".

Entrevista concedida a Sandra Cecília, para o site Relax Mental
(
www.relaxmental.com.br)
Realizada no dia 15 de julho de 2008

 

Faça uma visita!

LiveZilla Live Help

Carrinho

VirtueMart
O seu Carrinho de compras encontra-se vazio no momento.

Para ouvir